Torta de abobrinhas e ricota

Não sei se vocês sabem, mas eu adoro livros de receitas. O meu favorito no momento foi um que trouxemos da Itália da última vez, Il Cucchiaio verde e como na última distribuição de legumes orgânicos vieram muitas abobrinhas, aproveitei pra experimentar uma receita.

Essa torta foi a alegria do jantar de sábado, e também do piquenique do domingo. Altamente recomendada.

hmmmm....

hmmmm….

Torta de abobrinhas e ricota

Para a massa ‘Naturista’

150g farinha semi-integral
10g de fermento biológico seco
1 cs azeite de oliva
sal

Molhar o fermento com água morna, e acrescentar à farinha, ao azeite e a um pouco de sal, em uma grande vasilha. Começar a trabalhar a massa, juntando água morna aos poucos. Amassar bem a mistura até obter uma massa elástica e leve. Cobrir com um pano úmido e guardar protegido de correntes de ar por no mínimo duas horas, ou até que a massa dobre de volume.

Para o recheio

250g ricota
500g abobrinhas
1 cebola
2 ovos
100g queijo parmesão
100g mussarela de búfala
azeite de oliva
sal
tomates (2 pequenos ou vários tomates cereja)
folhas de manjericão

Refogar no azeite a cebola picadinha e as abobrinhas cortadas em meias rodelas, sem cozinhar demais. Salgar levemente. Tirar do fogo e deixar esfriar um pouco.
Em uma vazilha, misturar bem a ricota, os ovos, o parmesão ralado na hora, a mussarela cortada em cubinhos, e acrescentar a abobrinha já morna. 
Abrir a massa com um rolo de madeira bem enfarinhado, cobrir o fundo e as laterais de uma forma redonda de 26cm de diametro (untada e enfarinhada se for preciso). Colocar o recheio sobre a massa, colocar por cima rodelas de tomate ou os tomates cereja.

Assar no forno pré-aquecido a 180 graus por ao menos 40 minutos, até que a superfície comece a dourar.

Photo-contribution de Paulo

Contribuição fotográfica do Paulo

Decorar com as folhas de manjericão e servir rapidamente. (As folhas de manjericão não fazem parte da receita original, mas elas dão um perfume delicioso à torta!!!)

 

 

 

 

 

“Tortilla” de abobrinhas

Precisando de uma ideia fácil e rápida para cozinhar no final de semana?
Aqui via uma receita simples e deliciosa. A tortilla é um tipo de omelete espanhola, mais grossa, que se cozinha dos dois lados e não se dobra.

Tortilla de abobrinhas

4 ovos
azeite de oliva
2 grandes abobrinhas
1 cebola
sal
pimenta preta moída

IMPORTANTE : Utilisar uma frigideira anti-adesiva redonda

Refogar a cebola em rodelas no azeite. 
Lavar as abobrinhas e, sem descascar, cortar rodelas finas e refogar com a cebola, com fogo de médio a forte, para que elas comecem a dourar, mas não fiquem transparentes nem percam água. Temperar com sal e pimenta.
Enquanto isso, bater os ovos, acrescentar sal. Acrescentar um pouco de azeite na frigideira com as abobrinhas e jogar os ovos por cima.

La tortilla prête pour aller à table

A tortilla pronta pra ir à mesa

Baixar o fogo para que os ovos cozinhem lentamente. Tampar. Chacoalhar a frigideira delicadamente durante o cozimento para evitar que a tortilla cole no fundo. Quando a superfície não estiver mais líquida, utilizar um prato raso ou uma forma para virar a tortilla e recolocá-la na frigideira do outro lado. Deixar cozinhar ainda alguns minutos. 

Servir com uma boa salada verde!

Homus de beterraba

Aqui uma idéia de variação do homus, que fica lindo e delicioso, e dá mais opções para usar aquele tahine que ficou na geladeira!

 

Homus de beterraba

Tous les ingredients dans le bol du mixeur

Todos os ingredientes no copo do mixer

1 grande beterraba vermelha
1 dente de alho
1 cs azeite de oliva
1 cs tahini (puré de gergelim)
1/2 limão espremido
Sal
Pimenta preta moída
1 pitada de canela moída
1 pitada de cravo moído
1 pitada de cominho moído

 

Numa panela, colocar a beterraba e o alho para cozinhar juntos (assim o alho fica macio e adocicado) com um pouco de sal. Quando os legumes estiverem bem cozidos (mais ou menos 15 minutos), escorrer, reservando um pouco da água de cozimento.
Descascar a beterraba e o alho e colocar no copo do mixer (liquidificador, ou processador, o que você tiver à mão) com todos os outros ingredientes e uma colher de sopa (cs) da água do cozimento. Bater até ficar bem homogêneo. Corrigir o tempero se necessário.

O homous prontinho pra ser degustado!

 

Colocar na geladeira para resfriar.
Servir com grissinis ou legumes (cenoura, pepino, aipo, erva-doce) cortados em bastões.

 

E uma ótima semana!

Laura

 

Omelete de folhas

Um assunto importante quando queremos comer bem, produtos de qualidade, e fazer valer o que pagamos por esses produtos, é o APROVEITAMENTO INTEGRAL DOS ALIMENTOS.

Não se trata de nada mais que uma maneira de pensar, e de se organizar um pouco, para não jogar nada fora. E assim ganhamos em economias, o planeta ganha com menos lixo, e nosso corpo ganha com nutrientes mais variados.

Quando compramos (ou recebemos, como é o meu caso, na cesta de produtos orgânicos) belos nabos, cenouras, rabanetes, beterrabas ou outros tubérculos, ainda com as folhas, inteiras e verdinhas, o que fazer com elas?

Primeira coisa: cortar para separar as folhas do tubérculo. Senão as folhas continuam se alimentando da raiz, e podem fazer o tubérculo murchar. Em seguida lavar (deixar de molho com vinagre pra não arriscar de comer bichinhos junto!), secar bem, e ou guardar (no máximo 2 ou 3 dias, na geladeira) ou acrecentar ao que estamos cozinhando. As folhas, bem picadinhas, podem ser acrescentadas a sopas, simplesmente, ou a outros pratos, como ao arroz, no final do cozimento.

Existem várias receitas, vou acrescentar aqui no blog aos poucos. Mas hoje vamos a um exemplo bem simples, que é o omelete de folhas.

Eu usei no omelete das fotos folhas de 3 nabos, que estavam bem bonitas.

Piquei as folhas, refoguei com um pouquinho de cebola picada e azeite, deixei murcharem bem.

Acrescentei 4 ovos batidos, temperados com sal e pimenta do reino.

Abaixei o fogo e tampei a frigideira. Quando o ovou ‘secou’ na superfície (menos de 10 minutos), usei um prato para ajudar a virar, e deixei tampado mais 5 minutos. Tirei da frigideira e servi bem quentinho.

 

Refogando as folhas picadinhas

Refogando as folhas picadinhas

IMG_1676

O omelete, na hora em que os ovos secaram na superfície

IMG_1677

Omelete pronto!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Você pode deixar um pouco mais de tempo, se quiser o omelete mais douradinho.

Um prato fácil e rápido para duas pessoas!

 

Homus – pasta de grão de bico

O grão de bico é uma leguminosa rica em vitaminas e sais minerais, muito nutritiva, e que ajuda a regular todas as funções digestivas.

O Homus, ou pasta de grão de bico, de origem árabe, é uma ótima alternativa para o lanche – quando a gente quer passar alguma coisa diferente no pão, ou pode também servir para acompanhar pratos, acrescentando sabor e nutrientes.

Ingredientes

Os ingredientes, prontos para serem batidos

Os ingredientes, prontos para serem batidos

150g de grão de bico

2 dentes de alho

1 colher de sopa de azeite

1 colher de sopa de óleo de gergelim (tahini  – à venda nas lojas árabes ou de produtos orgânicos)

sumo de 1 limão

1 colher de café de pimenta síria (ou de pimenta do reino, acrescida de uma pitada de canela em pó, cominho em pó, cravo em pó, ou outras especiarias a gosto)

sal

Folhas de hortelã

Como eu fiz

O Homus pronto

O Homus pronto

Deixei o grão de bico de molho de um dia para o outro, depois cozinhei com bastante água, uma pitada de bicarbonato de sódio e uma folha de alga kombu (esses dois são opcionais, mas ajudam no cozimento e na digestão das leguminosas, como o grão de bico), e os dentes de alho, durante 45 minutos. Desliguei e deixei esfriar.

Escorri o grão de bico e os dentes de alho, joguei fora a alga, reservei a água do cozimento.

Bati no mixer (pode ser liquidificador, mas eu não tenho) o grão, o alho, o azeite, o tahini, o sumo de limão, meio copo da água do cozimento, o sal e a pimenta, até virar um creme bem liso. Provar o sal e corrigir se preciso. Acrescentar mais água do cozimento se estiver difícil de bater ou muito grosso.

Transferi para uma vasilha, salpiquei com as folhas de hortelã picadas e mais um pouco de azeite.

Comer com pão sírio (integral se encontrar), outros pães, ou usar para acompanhar legumes e outros pratos. Eu também gosto de cortar legumes (cenoura, pepino, pimentão, etc) em palitos para as visitas pegarem com os dedos, mergulharem no homus e hmmmm, que delícia!

Dica 1:  para o gosto do alho não ficar forte, eu cozinho junto com o grão: ele fica levemente adocicado e muito mais digesto.

Dica 2: Tanto a água onde o grão ficou de molho quando a água do cozimento que não usei vão direto para os vasos de plantas, cheias de vitaminas!

Sopa de Repolho

O repolho é um vegetal muitas vezes menosprezado, sem charme.

Mas ele é tão cheio de vitaminas e sais minerais que não devia ficar de fora de nossas dietas cotidianas.

E se o objetivo é reforçar, ele é nosso aliado.

Segundo o livro Se soigner par les légumes, les fruits et les céréales, do Dr. Jean Valnet, o repolho é rico em enxofre, arsênico, calcio, fósforo, cobre, iodo, e por isso abre o apetite, remineraliza e reconstitui. Como também é rico em vitaminas, ele é anti-escorbútico, revitalizante, reequilibrante, e é útil para o bom funcionamento geral do organismo.

A melhor maneira de consumi-lo é cru, em salada. Mas para variar, e aliar seus efeitos benéficos aos de outros vegetais, vai aqui uma receita super fácil de sopa a incorporar em todas as refeições. Eu mesma fiz para mim hoje, então aproveitei para tirar umas fotinhos. Você vai ver que alguns legumes são meio tortinhos, tem furinhos… Mas os  orgânicos são assim mesmo, muito mais saudáveis e menos ‘feitos sob medida’.

Ingredientes

Ingredientes da sopa

Ingredientes da sopa

1 repolho (o da foto é do crespo, mas pode ser do branco ou do roxo)

5 cenouras

2 cebolas pequenas (ou uma grande)

1 cabeça de aipo

2 dentes de alho

1 alho poró

sal

1 folha de louro

Como eu fiz

IMG_1692

Os legumes na panela

Separei as folhas do repolho e pus numa panela grande com 1 litro de água. Enquanto ele ia murchando, descasquei e piquei todos os outros legumes e coloquei por cima, com uma folha de louro e um pouquinho de sal.

Deixei ferver, abaixei o fogo, tampei e deixei cozinhar por 30 minutos.

Tirei a folha de louro e usei o mixer de mão para transformar tudo num creme. E pronto!

Durante a dieta de reforço, sugiro comer um prato fundo dessa sopa a cada refeição, almoço e jantar, como entrada.